Senhora do lago-2- Fernanda R-Mesquita


Vivi por uns tempos num lago de marés de aflição
Irrequieta, insatisfeita contra os erros da humanidade...
Tentei emancipar-me do que me liga à tradição,
Soterrada no silêncio, procurando a verdade.

Lá em baixo, lutei contra mim mesma, sem entender,
A obrigatória obediência aos costumes, que destrói
A minha índole romântica que teima em não morrer,
Que me emotiva, me fascina e ao mesmo tempo tanto dói.

Que confuso tropel de sentimentos, que insano...
Entre a beleza da vida e o som crítico feroz humano,
Salvou-me do fanatismo moral, fez-me mulher completa;

Aceitar o meu íntimo, porque na verdade,
Entre a maior felicidade e a mais profunda infelicidade
Vive a natureza cantando os versos puros do poeta!

Em Poetas em Destaque na 40a. Revista Ponto & Vírgula (bimestre julho/agosto)





















Comentários